segunda-feira, agosto 13, 2007

É Sempre Assim...

É, pois é... Acaba que eu sou culpada sim! Juro que não foi por mal que escrevo as coisas que escrevo, mas acho que até escrevendo eu tenho o dom de não pensar muito às vezes. Mas sabe eu acho que desisti, mesmo de tudo isso. Vou deixar tudo de lado agora. Abraçar minha indiferença com todas as forças e cuidar para que ela não suma de perto de mim, porque senão o coração vem e toma conta de tudo e eu quebro a cara de novo. E eu sei que isso não vai ser assim na verdade. Que daqui a pouco estarei escrevendo como é legal estar na nuvenzinha sendo idolatrada, ou não... Quem vai saber?! Mas eu vou me esforçar! Juro que vou tentar medir minhas palavras e minhas atitudes em relação a tudo. Parece que surgem pequenas facadas de todos os lados que mal dá p/ sentir, mas que incomodam demais. E não sei mais como me defender. Vou deixar de lado o que me incomoda e vou me esconder atrás desse sorriso que abro para todo mundo. Vou me esconder atrás da falsa felicidade causada pelas compras initerruptas pagas com parcelas inacabáveis que me faz sentir parte de alguma coisa nesse mundo vazio de pessoas que acham que são felizes com compras caras que parcelam até não poder mais. E eu vou parcelando tudo, os pagamentos, os momentos bons, os sentimentos, porque sentir tudo de uma vez não dá, meu peito não comporta. Ou talvez não tenha mais coragem de tentar comportar. Porque toda vez que vem tudo assim de uma vez eu me perco, eu caio e eu quebro a cara. E não tá fácil remendar o que resta. Da cara e do coração.
E não é só a tristeza que fica martelando no peito. É tudo o que vem com ela, o vazio, a desorientação. E a cada dia que passa o mundo faz menos sentido. E eu tento me contentar com cada vez menos, p/ não me decepcionar com o pouco que tenho que na verdade não é tão pouco assim, mas sempre parece que é. E sempre acabo querendo demais, e com isso nunca fico satisfeita. E continuo passando pela vida como se ela não significasse tanto assim, porque na maioria das vezes ela não parece significar. E me sinto tão ridícula por pensar assim, e por ser assim, sempre deprimida e insatisfeita e sozinha. E talvez esse seja o problema. Talvez eu só tenha medo de me sentir p/ sempre assim sozinha.

4 comentários:

Bruno Dumont disse...

se me restasse alguma força, e oportunidades, eu tentaria fazê-la melhor...
mas tem coisas que a gente não pode mais se dar ao luxo.
coisas que temos que aprender com a dor, e deixar correr, deixar doer pra ver como é!
esse medo que você tem, eu sempre tive... e muito, muito mais agora!
não se culpe pelas viagens alheias... ;)
Roxinha... vc é mais que isso!
=***

Carlos Howes disse...

Eu também passo o tempo inteiro tentando me convencer a não querer demais da vida, para não me frustar, e até consegui grandes avanços, mas é complicado demais. ninguém quer viver a vida só de passagem. mas ao mesmo tempo ninguém quer se arrebentar.

viver não é fácil não.

Garota Enxaqueca disse...

Guapa, você não é nova demais pra sair por aí desistindo de tudo? Olha, eu tô aqui do outro lado da tela e não sei o que tá acontecendo do lado daí... entretanto, sei por experiência própria, que o diabo não é tão feio como a gente pinta... Então, bola pra frente....

Besitos...

Gabi disse...

Querida, você não pode deixar meia dúzia de decepções serem maiores do que você e suas vontades.
Paciência e perseverença, é o meu conselho.
Beijocas :)