sexta-feira, janeiro 18, 2008

P.S...

Essa semana assisti "P.S.: Eu Te Amo" e o filme é muito bom. É meio água-com-açucar sim, mas também tem seus ensinamentos, além de ter umas cenas hilárias. Apesar de não ter chorado é um filme de chorar e que me fez pensar mais ainda em coisas que já venho pensando há muito tempo. Chega um momento no filme que a Holly, (a Hilary Swank, que está linda e usa umas roupas maravilhosas o filme todo), chega à triste conclusão de que todos nós estamos sozinhos. Que não importa quem exista na sua vida, no final de tudo nós sempre estamos sozinhos. Mesmo que tenhamos alguém que amamos muito ao nosso lado, ele não estará ali para sempre. Mais cedo ou mais tarde ele vai embora de um jeito ou de outro. Mesmo que nossa família seja ótima e carinhosa e sempre presente, quando tivermos que tomar nossas decisões, somos somente nós mesmos os responsáveis.
Claro que não acho que por causa disso devemos simplesmente nos fechar em nosso mundinho e esquecer as pessoas que são importantes para nós. Só acho que devemos ter consciência de nossa condição no mundo. Mas mesmo com essa condição bem clara em nossas mentes, devemos aproveitar o máximo a presença e o carinho de todas as pessoas que nos cercam, porque no dia que elas forem embora a gente acaba se arrependendo caso não tenha dado o devido valor à elas.

22 comentários:

Aninha disse...

eh mto triste descobrir q sempre seremos sozinhos, o q temos q fazer eh aproveitar qdo estamos com alguém, e qdo estamos sozinhos fazer da solidão apenas uma fase q vai passar
=D
Bjs

Nanah* disse...

Quero assistir tb! Mas sempre entro em crise quando vejo filmes assim, fico mto emotiva! Aconteceu qdo vi Brilho eterno...
Terminei de ler o livro da Marley. Chorei no final, mas é mto bonitinho e triste... Depois que vc ler eu comento melhor.
Mas o livro todo é mto engraçado tb!
Bjus!

Fábio Vanzo disse...

Oi menina; eu estudo Filosofia sim, mas por conta própria. minha (de)formação é em Jornalismo.

Beijão!

Jair Eduardo de Oliveira. disse...

-Talvez seja porque preferimos pensar que somos a ultima rosquinha do pacote e que nada poderá nos acontecer rs!
Sabe, eu não sei o que estou sentido (isso explica porquê as vezes sou idiota!)
As vezes sentimos medo em conhecer a verdade...
...

Mary disse...

Olá, olá!
Nunca tinha pensado nisso.
Adoro estar sózinha acho que, por ser opção se fosse por não ter com quem falar ou de que pudesse ter perto de mim não ia gostar.
Mas, agora ao ler o teu post concordo que realmente todos nós afinal estamos sózinhos apesar de acompanhados. Porque tudo o que decidimos, fazê-mo-lo a sós, pela nossa decisão apesar de ouvir-mos os outros a decisão final é sempre nossa ou, pelo menos deveria ser.
Beijokas!!!

Gabi disse...

Quero muito assistir esse filme, mesmo sabendo que vou chorar horrores...

alex e! disse...

...é Amanda, essa estória de "pra sempre" é mesmo só dos happy-endings da Disney. A coisa toda é bem mais séria, o que me lembrou uma música que adoro: "se lembra quando a gente/chegou um dia a acreditar/que tudo era pra sempre/sem saber/que o pra sempre/sempre acaba". Sempre acaba, é fato, maaaaas como cê bem disse, não é por isso que devemos parar tudo e (des)valorizarmos (ou pior, nem darmos o devido valor...) a tudo e a todos que nos fazem acreditar que o tal "pra sempre" é pra sempre mesmo. E sem aspas. Um beijo pra ti...

alex e! disse...

...ahhhhh, esqueci de perguntar: é impressão minha ou o layout mudou??? tô achando as coisas por aqui meio diferentes...

Dominique disse...

Oi, Amanda, vim fazer-te uma visita e me deparei com este belo texto sobre solidão. Realmente, nos pegamos acreditando que estamos sempre "protegidos" pelas pessoas que vivem no mundo à volta de nós.
Perceber que, na verdade, o caminho é sempre percorrido in solo não quer dizer necessariamente solidão. Quer dizer que, antes de prendermos-nos a um tempo e lugar específicos, fomos criados para conhecer e reconhecer lugares e pessoas, desbravar novas possibilidades e entender que solidão é diferente de estar só.
Solidão é aceitação de sua condição de uno e único no mundo, é um caráter especial que damos a nós mesmos. Já estar só é se ver no meio de um milhão de pessoas e não reconhecer nem a si mesmo como algo que não se repete em nenhum outro rosto, e por isso ser especial, bem como não reconhecer nos outros rostos a singularidade da existência deles.

Bem, assim que puder verei este filme também. Aposto que deve ser bonito mesmo.

E te deixo um abraço longo e caloroso de quem está em Minas mas não deixa ninguém, em São Paulo, só, ok? :)

berinjelinha disse...

Acho que só eu não quero assistir a esse pq sei que mesmo que não chore até derreter vou ficar neurótica, melancólia, deprimida, chata, com tendências suicidas...

Ana Fernandes disse...

falou e disse!

Darkness Field disse...

Meninaaaaaaa, vc eh do chá né?
Prazer em conhecê-la ;P
Ontem eu fui assistir Eu sou a lenda...
Estou doida pra assistir Ps.:Eu te amo, espero que seja bom, eu sou super água com açucar, pode reparar pelo meu blog hahahaha
Beijinhos Amandaaa :*

Darkness Field disse...

ahhh
esqueci de responder
não é montagem não *-*
lindo né?

Jair Eduardo de Oliveira. disse...

Oi bia, é mesmo. também notei algo de diferente por aqui!
um dia desse fiz a conta e entrei na sua pagina 5x no mesmo dia, gosto do seu blog, me identifico muito. mesmo quando estou no cio da minha melancolia, acho q vc é versao sensata de minha pessoas rs....

The Thinker disse...

Não vi o filme, mas quem viu disse-me que eh jogar dinheiro fora! Disse q eh agua com açucar e o ator não sabe passar o q seu papel pretendia dizer.
Mas como só acredito vendo devo ver pelo menos em DVD.

Bjs.


www.think.blig.com.br

Hélder, o míope disse...

Bastante sensata sua opinião,
concordo veemente!

esse fato de estar só no fim das coisas, não é bem "só" é você com você mesmo, sabe? essa intimidade com o seu eu.

temos que ter um tempo pra nós mesmos.
quem procura alguém que o entenda 100% vai quebrar a cara feio

só nós podemos ser com nós mesmos:
piedosos, acusadores, etc.

x)
gostei bastante desse texto.
fez pensar.

Renatinha Renault disse...

Nooooooooooooooooossa
vc conseguiu não chorar?
Assisti tbm
e AMEI!
mas chorei praticamente o filme inteiro!
hahahahaha
Bjo

Jana disse...

È aquela coisa, diga eu te amo agora, amanha pode ser tarde de mais.

beijos

Juliana Caribé disse...

Amei a figura do layout do seu blog...

Garota Enxaqueca disse...

Eu resumi o filme em Carpe Diem, porque, no final das coisas, a gente nunca sabe mesmo o que virá depois da próxima curva...

PS.: E eu chorei.

Bill disse...

Perfeito! Nada mais a acrescentar!
Só um bjooooooooooo!!!!!!

Carlos Howes disse...

Eu quero assistir!