sexta-feira, agosto 22, 2008

Colírio

Te observar é tudo que posso. Queria ter a força de vontade suficiente para agir contigo da mesma forma que agi com o último a quem dei um pouco do meu tempo. Mas não estou com tanto ânimo. Mal te conheço e já sinto que você é uma roubada. Que iria me dar trabalho, ainda mais trazendo o nome que tem. Mas mesmo assim, algo mais forte que eu não deixa eu não te olhar. E ao mesmo tempo não me impede de desviar os olhos quando encontram os seus por acidente. Você também me olha de canto quando passo. Eu vejo, eu sinto, mas só fica nisso. Não posso mais com alguém que não toma uma atitude, sabe? Cansei de ser aquela que toma todas as decisões e se esforça por tudo. Eu quero um pouco de facilidade ao menos uma vez. E me contento em te olhar de longe, por tempo limitado porque não é amor o que sinto, talvez só uma leve inclinação.

8 comentários:

Maria Renata disse...

E nem pra se divertir, descompromissadamente, o bofe serve? Filha, mudança de planos, não poderei ir a Sampa esse fds. Te mando um e-mail!
beijoca

Ygor P. disse...

essa sensação de cansar está mais em voga do que eu imaginava.

*** Cris *** disse...

Não é sempre que um colírio é indicado para nossos olhos.

Bom fim de semana!
Bjs!

Alle Nascimento disse...

deu curiosidade (ainda mais com o nome que tem...)!

abçs

Bill Falcão disse...

Bom, colírio às vezes é necessário. Dias secos, poluição... são alguns bons motivos!
Bjoooo!!!!!!!!

Carlos Howes disse...

E porquê não olhar? São essas coisas que podem dar uma pequena cor aos dias...

D.J disse...

Olá, Bia!
Primeira vez que entro em seu blog e já encontro um texto que eu queria ter escrito...é assim que tenho me sentido. Talvez até sentindo mais do que uma leve inclinação.
Obrigada pelas palavras. Venho te visitar sempre agora.
Grande beijo!

primaverasdesetembro disse...

é assim como eu..
"mas qual o nome que tem?"
hehe
Bejinhus,passo a frequentar seu blog, ta?