quarta-feira, fevereiro 11, 2009

Toda dor do mundo

O tempo anda meio estranho. Chove e faz sol, e chove de novo. E vem aquele cheiro de alguma lembrança distante que por mais que a gente tente se lembrar qual lembrança é, simplesmente não consegue. E assisto à mais um episódio do seriado que tanto me faz pensar sempre que acaba. E a garota do seriado sofre e chora e questiona tudo e daí vem toda a dor do mundo de uma só vez. Toda aquela dor que a gente deixa quieta, que a gente esconde quando está na frente dos outros. Aquelas coisas que a gente finge que não nos fez mal, mas na verdade fez e a gente só se dá conta quando uma personagem joga isso na nossa cara de um jeito ou do outro. E daí eu choro por tudo... Pelo mundo injusto, pela falta das pessoas queridas, porque não tem sorvete na geladeira, por causa do aquecimento global e do sofrimento dos pandas e dos pinguis... E tudo aquilo que um dia fez sentido deixa de fazer. E tudo se transforma em um enorme buraco negro que te puxa para dentro e não há mais nada que se possa fazer, senão fechar os olhos e aceitar que as coisas são assim e pronto.

14 comentários:

Natália disse...

Foi pra ele! ... Ontem voltei de bus com ele, e hj fiquei triste por não poder fazer o mesmo =/

E o teu tb não entendi exatamente. Td é mto indireto né.

Bjus e td de bom!

*** Cris *** disse...

oi Amanda...sabe, tem dias que tb me sinto assim...saudades de não sei o que, de não sei quem e nem por que nem pra que...aiaiai... mas não se acomode não querida, vamos em frente sempre!
Bjs e sorrisos coloridos!

Fee disse...

Hum hum... de jeito nenhum!
As coisas não são assim e pronto. Quer dizer, podem até ser, mas você não precisa ficar assim e pronto.
Ponto?

Beijos, Amanda e obrigada pela saudação.

julio de castro disse...

escolhas curiosas...

H. 0.9. disse...

Distantes, porém iguais. Somos todos freaks, uns choram por pinguins & pandas, outras, por borboletas que morrem em contos escolares, outros se entristecem quando um profº Dr. em turismo joga seu poodle na parede... mas esses sentimentos sem nome fazem de nós seres humanos sem precedentes. =)

Parabéns por não estar mais na
F ui
E studar no
I nferno!!!

Beijão!!!!!!!

LIEBELIEBELIEBE!!!

Luh Mahé disse...

Posso saber que seriado é esse? to precisando de alguma coisa nova pra ver.
É..as vezes da vontade de chorar pq não tem sorvete na geladeira..rsrs
:(

beijooos

R.Vinicius disse...

Não consigo aceitar o fato de as coisas são como devem ser. Já pensei nisso. Acho que elas são sempre um ponto de vista.

Gostei do seu blog Amanda!

Abraço,

R.Vinicius

Vivian Guilherme disse...

te entendo compreendo e compartilho a dor...
em genero numero e grau!
e acho q cada pedacinho da humanidade tb. Parece um inconsciente coletivo, saca? q coisa! =/

.biba. disse...

a gente não pode tomar todas as dores do mundo pra gente. não temos culpa das coisas.
mas não podemos tb ficar simplesmente imóveis vendo as coisas acontecerem.
se a gente não muda, nada muda.

=*

Jaya disse...

Por isso, agora eu faço parte do GreenPeace.

[Tem lógica, perceba].

Besos, Manda.

Saudades.

Míope disse...

Tudo dá-se um jeito.
Se não dá, o tempo leva.

Bejo!
;D

alex e! disse...

...sabe, Amanda, se tem uma coisa que realmente aprendi nos últimos meses foi a ter consciência de que não podemos carregar o peso do mundo nos ombros, e que muitas vezes é necessário nos recolhermos ao nosso próprio mundo interior para nos fortalecermos. E o restante que permaneça como está, pelo menos por enquanto, já que não somos super-heróis. Um bju pra ti...

=D

Bill Falcão disse...

Tem horas que só nos resta mesmo chorar!
Bjooooooooo!!!!!!!!!

Annah. disse...

é impressionante, eu sinto REALMENTE a mesma coisa que voce...