quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Estranhezas

Sabe aqueles dias em que você acha que não devia ter saído da cama. Hoje é um dia desses. Quando você não tem vontade de ver ninguém, quando tudo que queria era ficar bem trancada no quarto, debaixo do edredom sem nem se importar se é dia ou noite, se está chovendo ou fazendo sol, se tem comida na geladeira ou não, se está passando um filme que você gosta na televisão, se o cachorro quer ir na rua... Nada importa e você só deseja ser invisível quase inexistente e ficar bem quietinha. Hoje nem o sol nascendo no horizonte teve graça, nem as possíveis novidades futuras deram ânimo, nem a saudade apertou o peito. As horas se arrastam lentas, moles, com seu tic tac que reina absoluto na vida de todos os seres humanos existentes. Como se alguns números mostrados por ponteiros pudessem dizer o que realmente importa. Hoje os olhos pesam mais do que o normal, as pessoas falando criam um ruído irreconhecível e tudo o que eu queria era ir embora. E não dá vontade de estudar, de trabalhar, de fazer absolutamente nada e não é uma simples preguiça de fim de feriado prolongado. Parece mais com um vazio inexplicável, uma desmotivação de vida, um não sei por que existo, porque caminho, porque respiro. Aquelas coisas que surgem na mente quando se olha em volta e vê esse mundo todo cheio de gente dentro que tem o mesmo ponto de interrogação nos olhos, mas fingem que não se perguntam isso. E vem aquela sensação desagradável de deslocamento, de peixe fora d'água que vem me acometendo cada vez com mais freqüência. Aquela sensação de que o mundo gira em sentido horário e você em anti-horário e por mais que tente se adequar, não consegue. Sempre acontece algo que faz você voltar para o outro caminho que não é um caminho errado, mas também não é o mais comum. E ser diferente começa a não ter a mesma graça que tinha há cinco anos atrás. E parece que está todo mundo olhando p/ você esperando que você faça algo de errado para lhe apontar o dedo, ou te chamar de estranha.
Hoje o dia está estranho e eu estou estranha. Mas é bom saber que quando esse texto for postado o dia já estará acabando e quem sabe essas estranhezas também acabem junto com ele.

2 comentários:

Carlos disse...

"E vem aquela sensação desagradável de deslocamento, de peixe fora d'água que vem me acometendo cada vez com mais freqüência. Aquela sensação de que o mundo gira em sentido horário e você em anti-horário e por mais que tente se adequar, não consegue."

...

se sei. =/

Vanessa disse...

Estranhezas. Boa palavra pra definir "esses dias tão estranhos". Esse meu verão foi cheios deles e eles são bem parecidos com os seus...
bjssss