sexta-feira, março 30, 2007

A confusão em pessoa

Todo mundo sabe que eu sou saudosista. Mas parece que a coisa tem piorado de uns tempos p/ cá. Deve ser o Outono chegando que me deixa assim com saudade de tudo. É impressionante a capacidade que uma estação tem de me deixar melancólica. Talvez seja inferno astral por causa da aproximação do aniversário, talvez sejam os vários problemas em série que tenho p/ resolver e a falta de tempo que me resta p/ fazer metade das coisas que preciso fazer, sinceramente eu não sei. Eu sei que já faz um bom tempo, sempre nessa época do ano eu fico mais triste que o normal. Basta acordar, ver o sol querendo aparecer e sentir aquele ventinho frio de outono eu me deprimo. E a complicação da vida não ajuda muito as coisas. A cada ano que passa eu tenho mais certeza de que tudo que eu queria era uma vida tranqüila, uma casinha pequena com um cachorrinho p/ me fazer companhia, muitos livros na estante e uma escrivaninha p/ escrever o que me dá na telha. E tenho caminhado cada vez mais para o oposto disso. Se eu tivesse percebido antes como é mais fácil encontrar a felicidade entre coisas simples, talvez tivesse escolhido um caminho diferente para seguir. E por mais que se diga que a qualquer momento você pode mudar de rumo, eu sei que não é tão simples assim, e não sei se teria forças suficientes para agüentar as várias novas barras que isso traria. Não me arrependo de nada, ou melhor, de quase nada nessa vida, mas às vezes o cansaço que certas escolhas trazem pesa muito. Como eu sinto falta de certas coisas. Falta de quando acordar de manhã me animava. Eu lembro que toda manhã quando era difícil de acordar, eu tentava pensar em algo que seria bom no dia, ou de alguém que eu veria e daí me animava toda p/ levantar. Hoje essa tática não funciona mais. Tenho saudade do colégio, quando vejo adolescentes com seus uniformes no ônibus, saudade do curso quando compro Halls de uva verde, saudade da minha infância quando sinto cheiro de café de manhã. É tanta coisa junto, que acabo vivendo mais no passado do que no presente e talvez aí esteja a resolução para metade das minhas angústias, mas por mais consciência que eu tenha disso, não consigo mudar. Outro dia, descobri que não sei nada de nada dessa vida. Que eu ria quando brigava com a minha mãe e ela dizia que eu achava que sabia tudo, mas não sabia nada. E daí do nada eu percebo que achava que sabia sim de alguma coisa, mas realmente não sei nada e isso dá um vazio tão grande. Eu sou uma pessoa complicada, que fica indiferente a tudo em uma época do ano e ama tudo em outra e que sente que vive dentro de uma bolha transparente sem ter contato de verdade com o mundo real, apesar de acreditar que conhece muito bem o mundo real. E não adianta tentar mudar o que quer que seja nem ficar se lamentando, mas é bom desabafar de vez em quando. Desculpem a confusão de pensamentos, mas nem eu me entendo.

7 comentários:

lili disse...

eu entendi u.u

lili disse...

omg q amor vc. já topei rsrs

Jana disse...

Seja bem vinda ao clube...

Isso anda acontecendo muito por ai!

Beijos

Tani disse...

Ai, ai... Eu não sinto isso de manhã pq o ventinho do outono não chegou aqui em Minas ainda. Mas eu sei exatamente como é... Pq será que quando o outono chega algumas pessoas começam a ficar melancólicas e saudosistas? É engraçado, eu lembro de muita coisa dos anos anteriores quando vem chegando abril, maio. Algumas coisas boas, outras ruins, mas tenho um carinho até pelas ruins... Já que quando somos mais novos até as piores coisas não são ruins o suficiente, quando lembradas muito tempo depois.
Também sinto falta das táticas que não funcionam mais, e foi sobre isso aquele meu último post... Lembro que lá por 2003, quando eu ainda usava aparelho, costumava comprar cubinhos de coco caramelizados que uma senhora vendia no calçadão. Comer aquilo sempre quebrava meu aparelho, mas carregava um significado enorme de liberdade pra mim. Engraçado como hoje é difícil achar algo que provoque as sensações de outrora. Acho que só aquele ventinho de maio mesmo pra me fazer ter essas noções de novo.

Adoro ler aqui... Atualiza logo! :*****

divisa disse...

pois é, como disse a tani, aqui em minas o calor persiste. As noites de BH tem sido com 33°, por aí... por alguma razão nunca gostei do outono, mas ao mesmo tempo gostei. sim porque o calor não é tão grande e o frio não é tão grande... mas dá uma melancolia do caramba! ...

Ygor Pinheiro disse...

Deus, é uma epidemia.

Mauri disse...

Olha, assino embaixo, viu?
Same same same