quarta-feira, julho 11, 2007

Sem Sentido

Hoje o dia acordou cinza. Não só o dia lá fora, não só o céu, mas aqui dentro também tá tudo cinza de novo. Não sei se é uma TPM que veio mais cedo, se é o cansaço e a vontade de dormir, se é essa dor de cabeça que surgiu de repente, se é o tempo que muda o tempo todo ou talvez se é uma saudade surgida assim de repente, quando eu achava que não tinha mais saudade nenhuma p/ sentir de você. Dá um aperto no peito olhar aquela sua foto com a guitarra e perceber que não faço mais parte da sua vida, e o pior é sentir que em certas coisas acho que nunca fiz. Dá vontade de apagar tudo da memória, te fazer desaparecer de tudo. Tô cansada dessas crises, dessas recaídas, desse sentimento de inutilidade, de que a vida não serve p/ nada, de que nada tem sentido. Tô cansada de tentar descobrir porque as coisas são assim e não de outro jeito. Tô cansada de olhar p/ frente é só enxergar um abismo e um vazio que não acaba. Acho que tô cansada de mim mesma.

PS: Lembra desse título em uns posts antigos que você escreveu?

6 comentários:

Garota Enxaqueca disse...

Guria, espero que seja só TPM mesmo...

É piegas... mas o que não tem remédio, remediado está... Então, bola pra frente...

(Mas tá frio mesmo!!! Aff)

Besitos, guapa...


PS.: Amo espanhol mesmo... e ainda sou professora... Bom né? Trabalho com o que mais amo na vida! =)

e disse...

Noossa, eu to cansada de mim mesma, e cansada de relembrar como nossos dias juntos foram bons... mas enfim, seguir em frente. Bjss ;)

Ela, Banheiro Unissex disse...

Noossa, eu to cansada de mim mesma, e cansada de relembrar como nossos dias juntos foram bons... mas enfim, seguir em frente. Bjss ;)

Jana disse...

Lembre-se que teremos sempre dias cinzas, pretos, mas as coisas tendem depois a ganhar uma cor leve

beijo

Gabi disse...

Ai, como eu te entendo...
O que me conforta é saber que logo ali adiante há uma surpresa nos aguardando. Sempre há, querida, pode ter certeza disso.
Uma beijoca

' Jaya . disse...

Saudade dói! Mas ao mesmo tempo é bom, trás certeza de que você viveu momentos felizes. Aí ela aparece por querê-los de volta. Por lembrar de como foi, e por tudo isso que você escreveu.

Quando a gente se sente desse modo, dá vontade de tomar um antídoto e apagar de vez da memória. Mas... pra que apagar a lembrança de algo que foi tão bom que chega a te fazer sentir falta? Não compensa. Acho que um dia a gente aprende a lidar. Pode ser que seja logo, pode ser que demore um pouco mais. O certo é que vai acontecer.

Você já assistiu “Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças”? Pra mim, a essência do filme é que, ainda que apaguemos de nossas vidas sentimentos que nos fizeram tão bem em alguns momentos, eles permanecerão pra sempre. Porque amor, afinidade e sintonia, está sempre acontecendo entre duas pessoas que já se cruzaram. E as voltas que o mundo dá sempre prproprocionarão esse encontro, ainda que apenas das almas.

Foi profundo, hein? Rs. Às vezes viajo. Mas é isso aí. Fica bem!
Lembre-se que o poeta já disse por aí algo como “sofrer é inevitável, aceitar a dor é opcional”.

Gostei do texto. Ah! E sim, eu gosto de Wilde. Tô conhecendo, ainda não conheço quase nada. E agora eu retomei minha leitura de “A Viagem de Théo”. O livro é ótimo, não havia terminado ainda por pura falta de tempo. Mas agora as férias... :)

Beijos, menina!