quinta-feira, julho 12, 2007

O caos no mundo

Alguém pode me explicar o que acontece com o mundo? Eu tenho evitado ler jornais, por mais que digam que é bom ser uma pessoa atualizada e saber o que acontece e tal, mas não dá! Toda vez que eu tento ler qualquer notícia me dá uma tristeza tão grande. Quando se lê sobre economia você descobre que as coisas estão aumentando de preço absurdamente e os salários diminuindo, quando tento entender política encontramos palavrinhas bem desanimadoras, como corrupção, notas frias, CPI, desvios, contas no exterior... Quanto tempo faz que não vejo um político fazendo algo de realmente bom para a população! As notícias são uma enxurrada de mortes cruéis, seqüestros, assaltos, golpes em pessoas inocentes e isso em todo o mundo, não é só no Brasil não. O mundo está se tornando muito impessoal, muito tecnológico e fútil. Coisas que deveriam ser boas são usadas de forma errada. Ao invés de se ajudarem, as pessoas só pensam em se dar bem às custas dos outros. O mal do século ainda é a solidão e o egoísmo está se tornando regra. Já eram poucas as pessoas que pensavam no próximo e agora estão se tornando mais escassas. Depois de levar tanta porrada, todo mundo fica na defensiva e quanto mais as pessoas ficam assim, mais atacam as outras e isso se torna um círculo vicioso até que um dia não reste mais nada. Precisamos fazer o possível para impedir que isso aconteça. É difícil não entrar nessa onda estranha que toma conta de todo mundo, mas precisamos pelo menos ter pensamento positivo, antes que não tenha mais como reverter a situação.

"O mundo está ao contrário e ninguém reparou"

5 comentários:

Mila disse...

Acredite, o mundo está do avesso mesmo. Tenho medo de perder as esperanças sabe...

Tani :) disse...

É, concordo com você. Tá foda mesmo! Essa cultura do 'ter tudo' na qual estamos vivendo está enlouquecendo as pessoas. Mas sabe, eu procuro tanto ver coisas legais por aí, que acabo vendo de verdade. Esses dias eu e a minha irmã estávamos viajando pra Campos, quando esquecemos o dinheiro pro segundo ônibus (são dois, não tem um direto) e na cidade da baldeação (São Bento do Sapucaí, minúscula) não havia um caixa eletrônico do Itaú. Acredita que um cobrador deu o dinheiro pra gente? E ontem, eu também tava em Campos e havia uma multidão em volta de uma tenda com o Jorge Vercillo (hahahah, multilixo!) tocando. Como toda caipira que se preze, eu não podia deixar de tirar uma foto, né? Pois é, todo mundo deixou eu passar na frente pra tirar a foto. E se eu começar a contar as vezes em que foram solidários comigo nos últimos 6 meses, não paro por aqui. E sem modéstia, não foram poucas as vezes em que eu também fui solidária ou que ao menos tenha sentido aquela dorzinha ao não poder ajudar alguém.
A propósito, se você se sente mal lendo jornal... Assine o Jornal do Senado, é de graça, semanal e tem muita notícia boa, pra neutralizar ou pelo menos amenizar as ruins. :)

Dizem por aí que a solução está nas mãos de nós, jovens e crianças, quando na verdade não há solução absoluta - o caos é a bateria do mundo; e as possíveis melhoras estão nas mãos de qualquer cidadão, idoso ou jovem. Tudo o que eu puder fazer de pequeno ou grande pra melhorar algo vai me fazer muito feliz. E se a gente não é parte do solução, é parte do problema... fato. :)


"Não é que o mundo seja só ruim e triste. É que as pequenas notícias não saem nos grandes jornais. Quando uma pena flutua no ar por oito segundos ou a menina abraça o seu grande amigo, nenhum jornalista escreve a respeito. Só os poetas o fazem." [Rita Apoena]

Então vamos ler mais o jornal das pequenas coisas... Porque elas são grandes! ;)

Te adoro e tenho saudade!

Ela, Banheiro Unissex disse...

Ninguém reparou ou ninguém quer enxergar. Bjss

' Jaya . disse...

Acredito que, no meu eterno otimismo, acho que alguém tá reparando sim.

Eu, você e pessoas que tem esperança.

:)

Carlos Howes disse...

Você tem toda a razão, Amanda. O mundo está de cabeça para baixo, e parece que cada vez mais só tende a piorar.

Há quem discuta soluções complexas, mas eu acredito em soluções simples, que nascem dentro de cada um sabe?

Para começar as pessoas deviam aprender a respeitar. Se colocar no lugar do outras pessoas, respeitar que ali do outro lado tem uma vida, um ser, uma pessoa que tem sentimentos. Acho que se as pessoas respeitassem umas às outras, não haveria intolerância. E sem intolerância não haveriam discussões, desrespeito, as pessoas não se magoariam, não brigariam por religião ou qualquer coisa, não roubariam, não prejudicariam ninguém.

Enfim.. é preciso mesmo reagir. eu tento fazer um pouco da minha parte.