terça-feira, junho 03, 2008

E a história se repete

Mais uma noite com você entrando nos meus sonhos. Não que tenha sido bom, mas você estava lá. Assim como está no meu pensamento durante o dia. Fico sem saber o que fazer, que rumo tomar o que pensar. Difícil saber o que se passa em sua cabeça. Acho que mesmo se perguntasse jamais saberia de todo. Assim como é impossível saber o que se passa no meu coração. Uma simples carência causada pelo frio ou algo mais?
O banco do passageiro do meu carro jogado todo para trás me faz lembrar que você esteve sentado ali há alguns dias atrás. Faz lembrar que gosto da sua companhia, principalmente quando não tem mais ninguém junto e você se desarma um pouco. Talvez seja só medo de ambas as partes. Medo que não se dissipa, mesmo com o passar do tempo. Talvez não seja nada e daqui alguns dias isso fique claro como água. Mas por enquanto nada está claro. Nada faz muito sentido, sabe?
Como disse uma amiga, por ser confusa atraio pessoas confusas. Ela provavelmente está certa, mas daria tudo para que pelo menos dessa vez não existisse mais tanta confusão.
Às vezes dá uma vontade absurda de te ligar ou te mandar um e-mail dizendo que realmente gosto de você, que quero ficar com você de novo, que se dane todo o medo e que a gente tem que ver o que pode rolar. Mas daí travo, quando penso em como você pode ficar apavorado com tudo isso, e tento me controlar. É preciso respeitar o tempo dos outros, certo? Nem eu tenho certeza do que quero como posso querer que você tenha?
Eu sei que gosto de você, mas é um gostar do meu jeito. Um gostar de quem não liga mais para os defeitos que antes eu enumerava e só quer que tudo fique bem. Não é amor, nem paixão, é só um bem querer que mesmo se você sumir para sempre não vou me desesperar, nem me arrepender de não ter feito isso ou aquilo. Talvez o que precisava acontecer entre nós já aconteceu. Talvez daqui alguns meses eu nem te veja mais e nem sinta falta e nem me lembre de mais nada. Mas por enquanto está sim tudo confuso aqui dentro, estou sim sentindo sua falta às vezes e mais uma vez estou transformando em uma novela uma situação relativamente simples.
Acho que nunca vou aprender a ser simples, nem totalmente objetiva. Nunca vou conseguir me desarmar por completo, mesmo quando encontrar alguém apaixonado. Sempre vai ficar essa nuvem, esse vazio e essa confusão.

6 comentários:

Li disse...

eu iria com a cara e a coragem. vc merece tanto ser feliz.


=*****

- BiAaaAah* disse...

esse tal de amor é mesmo muito complicadooo.. mas a gente deve ser feliz néé?!

Bruno disse...

Vai nada, a gente fala isso e acredita nisso até que alguém surge e nossa vida vira do avesso. Aí a gente passa a dizer tudo isso sobre a nova pessoa :)

Enxaqueca disse...

Guapa, essa confusão é o seu charme. Não tente se simplificar. Só os medíocres são simples.

Jaya disse...

Tão bom ler texto teu assim, cheio de coisa escrita. Derramando sentimento bonito. Seja confusão, seja paixão, seja lá o que for. Rs.

Sabe o que acontece, Manda? A gente sempre complica tudo. E aí embola razão, fica tentando entender o coração, coitado. Aí desmonta tudo. Desmonta a gente.

Já me senti assim como você inúmeras vezes. O meu problema é prender sentimentos. Tenho medo de falar. E de amar? Acho que tenho ainda mais medo...

Eu diria pra você se permitir. Arriscar. Sair dessa onda de "quase" e do "e se...". Coração tá dentro da gente, mas quase sempre pertencendo a outro, né?

Pinta arco-íris no teu céu!

Beijocas.

Míope disse...

Agente complica demais.
Tem coisas que são tão...





Bejo.
[Vota na enquete lá, pf!]