quinta-feira, agosto 06, 2009

Olá

Eu sei, estou sumida, parece até que larguei o blog, certo?! Mas não larguei. Ainda estou aqui. O que acontece é que não tô muito no clima da escrita. Quero dizer, até estou mas acho que se escrever toda vez que der na telha, meus textos vão ficar meio repetitivos, então preferi dar um tempo para não cansá-los com meus lamentos
A vida continua igual, as angústias também, os assuntos são os mesmos, vocês não perderam nada de importante da minha vida nesse tempo que fiquei meio ausente.
Sei que também não tenho feito muitas visitas, mas é que estava navegando muito pouco na internet esses dias. Passei o tempo livre mais lendo meus livros do que qualquer outra coisa, e acabou que eu dei uma abandonada de vocês meus querido amigos internéticos. Mas não foi por mal, eu juro.
Prometo que tentarei voltar a visitá-los e a escrever também, mesmo que o assunto sejam as minhas tão conhecidas angústias e melancolias como diria o Bill.
Então, que venha a inspiração e que eu faça um novo texto logo.

7 comentários:

Jaya disse...

Primeiro: aqui tá lindo. Um ahazo!

Segundo: engraçado que adoro te ler, mesmo assim, num post recado, falando que tá tudo bem, que vai voltar.

Eu espero. Sempre espero.

Um beijo, Manda.

Elton... disse...

Ler é melhor do que escrever, fato. mesmo que não seja mais produtivo é mais agradável, hehe...

Tânia disse...

Adoro seus posts..
Que bom que nao nos abandonou..

beijos.

Natalia Xavier disse...

Ai que foto bunitaaaa! Eu adoro seus templates cinzentos =P

A inspiração chega de repente. E eu tenho um grave problema de postar coisas redundantes...

Bjus e td de bom!

fee disse...

Farei campanha reivindicando a sua presença constante! Ora, bolas.

Joyce Carolini. disse...

Olá Amanda!
Seu blog é tão lindo! Parabéns!



Linda tarde!
Beijos pra ti!!!!

Carlos Howes disse...

Sem pressão, minha querida. O importante é saber se você está bem. Eu mesmo, tenho épocas que não tenho vontade de escrever nada..e troco por coisas mais construtivas como leitura, estudo, saídas. A gente tem que viver, né?

Beijo.