segunda-feira, setembro 20, 2010

Cotidiano

Ela toma sua água como se fosse a melhor bebida do mundo. Olha pela janela e vê o vento balançando as folhas das árvores com imenso vigor. Olha a tela do computador sem a menor vontade de fazer nada. Ela sabe que tem uma lista enorme de tarefas, mas não consegue se mexer. Simplesmente não consegue. O sono bate em seus olhos reclamando da noite mal dormida. As pessoas a deixam irritada e ela nem sabe direito o porquê. Queria estar em casa, em seu quarto com seu livro e seu cachorro, mas ainda é cedo demais. Precisa trabalhar por mais de uma hora e depois aguentar mais uma hora de trânsito até finalmente chegar em casa. Olha para as unhas pintadas de vermelho, para o teto branco, sem ânimo, sem vontade, sem gás para continuar. Isso porque a semana só está começando e a consciência disso parece pesar ainda mais. Suspira. Olha o calendário. Muda a posição que está sentada. E o relógio insiste em passar bem lentamente. Sem se importar com suas angústias. A colega de trabalho faz comentários que ela preferia não escutar. Queria ser invisível, pelo menos por hoje. Está cansada de tudo e de todos. De tomar decisões, de resolver pendências, de querer tanto tantas coisas e conseguir tão poucas. Resolve voltar ao trabalho, assim o tempo pode resolver passar mais rápido. Tira energia do fundo de seu ser. E tentando não olhar para o relógio, torce para que o dia termine logo.

4 comentários:

Eu Hein Natasha disse...

Qnd eu to assim, o q não tem costumado acontecer ultimamente, eu post no blog durante hoharios nos quais não deveria estar postando no blog, alivia minha..tensão^^
Boa sorte!
A-muaaah

Eu Hein Natasha disse...

Ué, eu jurava q tinha comentado, e era enorme até...

.p. disse...

eu estava assim hoje, porém, sem as unhs vermelhas e em casa. mas mesmo assim com essa impaciência e essa não vontade.

e cara, isso me deixa mais irritada ainda do que os já costumeiros incômodos.

ainda bem que o dia acabou... (é 01:25 agora. hehe).

:*

Tai Lebrão disse...

Dias assim passam por qualquer um. A gente só torce pra ser só mais um.