quinta-feira, outubro 07, 2010

Amor

Ouvindo a chuva caindo lá fora chega uma saudade sei lá de onde. Olhando de relance a novela e vendo o menino bonitinho apaixonado pela menina bonitinha, dá vontade de ter um menino bonitinho para mim. Será que eu posso querer um menino igual ao da novela, ou é brega demais? Mas amor é brega, certo? Amar, falar aquelas besteiras, achar que o mundo gira em torno de alguém é extremamente brega. E extremamente bom. Mas não existe ninguém. Nem o menino bonitinho nem o feinho. Nada. Só a chuva, o vento e um enorme vazio.

6 comentários:

Maria Renata disse...

Ah sim, estamos juntas nessa saudade indefinida. As vezes penso que é saudade da gente mesmo, ou saudade de completidão. Vai saber!
Saudade do tempinho de blog, viu!
beijocas, de quem não tem mais uma vida pública, rs.

Verônica Medeiros disse...

Adorei esse texto!
Também vivo de saudade: http://www.umcaradalegiaoemminhavida.blogspot.com/

E sei como não é fácil este sentimento!
Abraços...

Verônica Medeiros disse...

Adorei esse texto!
Também vivo de saudade: http://www.umcaradalegiaoemminhavida.blogspot.com/

E sei como não é fácil este sentimento!
Abraços...

Stella disse...

Um cara uma vez disse que não se existe para se impressionar o mundo. Existe-se para viver-se a vida de uma forma que te faça feliz.

Então não se importe com conceitos, com principalmente se algo é in ou out. O importante é que aquilo te faça feliz, Amanda. E só isso importa...

Um abraço e boa busca pelo seu menino bonitinho!:)

Bill Falcão disse...

Um dia, quem sabe, a chuva e o vento podem trazer de novo todas essas breguices gostosas!
Bjoo!!

Eu Hein Natasha disse...

Também existem os amigos, asmúsicas, os bichinhos, os blog, os docinhos, os cheiros, as ruas, as mães, e os cafunes dos queridos.
E estamos aí.
=D