segunda-feira, outubro 17, 2011

Desabafando

Eu demorei para entender. Demorei tanto para pereceber o óbvio. Para notar que eu sempre estive sozinha. E que o mais triste não é se sentir sozinha estando sem ninguém. O pior é perceber que se estava sozinha junto com alguém. Sozinha junto é muito mais doloroso do que sozinha separado. Porque você imagina que deveria ter alguém ali, do lado te entendendo, te dando força. Mas na verdade você nota que só você que entende, só você quem dá força. E eu olho em volta e é como se aquilo tudo que todo mundo vive, não é para mim. Aquilo de mãos dadas, e compreensão, e anos de cumplicidade, simplesmente não é para ser meu. Simples assim. E eu vou afundando no meu mundinho de livros, e músicas e esmaltes... E vou me distraindo com o que tem para hoje. Uma novela ali, uma série acolá, uma lambida do cachorro. E tudo isso deveria ser suficiente. Deveria preencher esse vazio enorme que parece não ter fim. Mas não preenche. E o buraco vai ficando cada vez maior e mais profundo e deprimente. E não há livros, músicas e esmaltes que dê jeito. Nem a lambida do cachorro. E quanto pior eu fico, mais me sinto mal agradecida por reclamar tanto de barriga cheia, como diria minha avó. Mas a barriga nunca parece estar cheia. Por mais que eu tente empurrar tudo que vem guela abaixo. E será que por não estar cheia, eu posso então reclamar sem culpa? Provavelmente não. E eu tenho que conviver com o vazio, com as pessoas felizes ao meu redor que parece que conseguiram tudo aquilo que eu não consegui. E sempre tem alguém para me dizer que tudo vai ficar bem, que tudo vai dar certo, que é assim mesmo, mas tudo passa, não se preocupe... E eu não quero mais ouvir nada. Não quero mais consolos vazios. Frases pré-fabricadas para pessoas que não sabem lidar com essa mar de solidão como eu. Não quero mais escutar conselhos que eu tento seguir desde de sempre e que nunca me deram nada de volta. Não quero mais me sentir a reclamona chata. E talvez seja melhor guardar meus lamentos para mim mesma. Minha vida deslocada, sempre tão deslocada e sem rumo. Sempre parecendo tão decidida e objetiva, mas no fundo completamente perdida de frustrada. E eu penso, penso tanto em tantas coisas, que parece que a minha cabeça vai explodir de tantas idéias. E eu já não sei mais o que fazer. Já não sei mais a quem ou a o que recorrer. O vazio está levando tudo, como um buraco negro que varre tudo para dentro dele e não há nada que se possa fazer. Só esperar. Esperar que um dia tudo passe de verdade. E as coisas comecem a fazer o mínimo de sentido.

8 comentários:

Stella disse...

Tudo o que posso dizer é que compreendo o que você sente... Ainda não encontrei a saída para esta sensação de vazio, mas sei que não estou sozinha... e nem você. Eu estou aqui, distante mas sempre aqui, minha amiga paulista...


Um abraço com muito carinho pra você, Manda Bia!


Cris

Jaya Magalhães disse...

Sabe, Manda, é isso aí mesmo. Eu sinto igual. De uns anos pra cá, passei a entender todas a vírgulas do que você sempre escreveu, porque a gente se acompanha há alguns anos e esse assunto já passou por aqui outras vezes. Talvez no começo eu não entendesse assim, por não haver ainda sentido com tamanha profundidade. Hoje sei. Disfarço, fujo, mudo de assunto, mas sei.

E também espero. Espero que passe, que eu esqueça, que não sintamos tanto. Porque sentido, acho que jamais fará. Vai ver foi feito pra ser assim mesmo.

--

E venha! A Bahia espera vocês! HAHAHA

Um beijo.

Carlos Howes disse...

È, minha amiga...Estou de volta sim. E pelo visto, não apenas eu. Bom vê-la escrevendo novamente..mas torço de coração que os motivos de nossa inspiração não perpetuem por muito tempo. Beijo!

Patrícia ♥ disse...

Que lindo aqui *--*
eu super adorei

estou seguindo..
retribui??

beijos
http://momentosdapathy.blogspot.com
http://pathyoliver.blogspot.com

De Malas Prontas disse...

Como eu escrevi hj no meu Blog, DE MALAS PRONTAS, Quem vai senti .. Mas pra quem fica sobra a dor imensa que nada detém ... E assim mesmo, presa no nosso mundo sentindo falta do absurdo!!! Sempre trancamos os dedos na porta ate que doa .. nunca saberemos pra que TRANCAMOS OS DEDOS NELA!!!

Bill Falcão disse...

Como sempre, você diz o que eu gostaria de dizer. Bjoo!!

A VIDA É UM ETERNO APRENDIZADO disse...

Olá!
Adorei seu blog.Com certeza darei uma lida sempre que puder.
Grande abraço
se cuida

raquel disse...

Muito bom o texto!