quarta-feira, janeiro 23, 2008

Mais uma vez a vida acaba...

Eu pensei muito antes de escreve sobre isso, mas não agüentei, precisava comentar sobre o ocorrido. Ontem o ator Heath Ledger foi encontrado morto em seu apartamento em Nova York. Foram encontradas pilulas ao redor dele e a família diz que a morte foi acidental. Se foi acidental ou não, eu não sei. Sei que gostava muito dele desde o filme "10 Coisas que Odeio em Você" e fiquei muito triste com essa notícia. Mesmo porque o cara tinha só 28 anos. É muito triste ver alguém tão jovem e talentoso indo embora assim. E esse tipo de coisa sempre me faz pensar que para morrer basta estar vivo. Que não adianta querer ser melhor do que ninguém, todo mundo acaba no mesmo buraco. A vida é tão efêmera e isso às vezes dá um medo tão grande! Pensar que no próximo minuto você não estará mais aqui. Mais uma vez vale a expressão, "viva cada dia como se fosse o último". Porque mais cedo ou mais tarde vai ser mesmo.

14 comentários:

Li disse...

a gente nunca sabe e a gente nunca escolhe... =/

Juliana Caribé disse...

A vida é mesmo fugidia...
Mas discordo da mocinha aí em cima... A gente nunca sabe, mas sempre podemos escolher. Não escolher quando vamos morrer, mas como vamos viver.

(E você, como está vivendo?)

Linkei você, tá?
Beijos.

citadinokane disse...

Bia,
Tens razão, morreu muito jovem... uma pena, tantas filmes viriam... e ele se foi.
Beijos,
Pedro

Jair Eduardo de Oliveira. disse...

Se viver é um oficio, ou uma diva. Isso eu nao sei dizer, mas tem vez que a vida é mesmo filho da P!
Uns preferem viver, outros preferem ser.
-Até quando estamos vivendo a vida? Viver e deixar para pagar depois, ou pagar e deixar para desfrutar depois? E como saberemos? Podemos escolher como viver, mas nao podemos escolher que vida ter. Sim, podemos mudar, questionar, reclamar, mas sempre ficará algo.
- E Por que nao podemos escolher quando partir?

alex e! disse...

...não cheguei a acompanhar a carreira do Heath, apesar de já ter visto alguns filmes dele, mas fiquei realmente surpreso com sua morte repentina, algo parecido com a de Marilyn Monroe e Elis. De qualquer jeito, cê tem razão: não importa tanto saber se a morte foi acidental ou não, e é fato que coisas assim, quando acontecem, nos fazem (re)pensar o modo como lidamos com as nossas próprias vidas - e também com a certeza-incerta da morte... Um beijo pra ti...

Tarci disse...

Vim conhecer seu cantinho, apesar de so lembrar dele deste filme, é triste quando estas coisas acontecem não é? Ainda mais quando diante da situação a família diz que foi acidental, existem coisas que estaõ debaixo do nariz da gente e a gente não vê ou simplesmente ignora, e daí o fim é assim, triste, e trágico.
Beijos querida!

Nanah* disse...

Dá uma dó absurda! Não sei que fator levou ao ocorrido, mas como tu disse além de ser jovem era mto talentoso...
uma pena né
Bjus

Aninha disse...

ai eu tb fikei com tanta peninha dele, ele era um gato, rs
mas eh vdd agente tem q curtir o hj!
=D
Bjs

Bernardo Lima disse...

Opa, blz?
vim retribuir a boa visita que fizeres lá no Reflexões.
o meme do desenho chegou a mim através de tu né?
haha
tempão que não passo aqui....

Então..sobre teu post:

realmente, pra morrer basta estar vivo...
que ele vá em paz...

Quando tiver de bob passa lá no Reflexões!

Grande abraço!

berinjelinha disse...

Pois é, querida, pode ser clichê, mas é verdade, que para morrer basta estar vivo e ele é a prova disso, o que me deixa muito triste, de verdade, não gosto de ver gente boa e útil morrendo assim, sem mais nem menos...ainda mais depois de ter visto o filme dele que vi e recomendo Candy é um ótimo filme pra quem tem estômago e ta bem, de verdade, fiquei meio pra baixo qnd vi, mas é bom e tal.
O cara tinha td na vida, e um bebe novinho, sem contar que o fato dele ter morrido no ap de uma amiga é muito estranho, né...enfim, tomara que esse ano não continue assim, senão teremos grandes e insubistituíveis perdas ;~~

Arthur Araújo disse...

Assino em baixo!

Carlos Howes disse...

Várias vidas se esvaem por aí, dia e noite.. mas claro que sendo o Ledger uma pessoa que conhecemos (pelo menos da telinha), isso nos atinge e nos faz refletir de uma forma mais forte: você tem razão, amiga. a vida é efêmera, e que seja bem aproveitada enquanto é simplismente vida.

Flora disse...

Eu realmente não gostei da morte dele!!!
Foi tão triste, em pensar que eu adorava ele, adorava "10 coisas que odeio em você", "Coração valente" e "Brockback mountain"... ainda gosto, é claro, realmente, adorei o seu blog.
Beijos

manu disse...

triste, isso. um talento perdido...